Técnicos de som, luz e imagem de eventos se manifestam em SP por protocolos para volta ao trabalho | São Paulo

Técnicos de som, luz e imagem de eventos se manifestam em SP por protocolos para volta ao trabalho | São Paulo


Profissionais da área técnica de eventos, conhecidos nos bastidores como “graxa”, fizeram uma passeata de protesto neste domingo (2), na Zona Sul da cidade de São Paulo. Levando os cases que usam para trabalhar, eles cobraram uma definição dos protocolos de segurança para a retomada do setor ao trabalho durante a pandemia de coronavírus, entre outras coisas (veja abaixo).

Segundo os organizadores, a pandemia do coronavírus trouxe “o verdadeiro pesadelo do apagão”. A reivindicação do grupo é por um plano emergencial para a categoria e pela revisão das leis para o setor, que “não mais atendem a realidade e necessidades da Área Técnica”.

“Somos os profissionais que ninguém vê, mas, sem o nosso trabalho, nenhum artista sobe ao palco, nenhuma marca apresenta o seu produto, nenhum aplauso será ouvido. Sim, nós empurramos cases, mas também fazemos o show acontecer”, escreveram os profissionais em um manifesto.

Durante a passeata, os manifestantes levaram os cases usados nos bastidores para guardar os equipamentos para a montagem dos shows. Eles realizaram o ato em fila, com distanciamento entre os participantes, que usavam máscaras de proteção e seguravam cartazes.

O grupo se reuniu na Avenida Pedro Álvares Cabral, nas imediações do Parque Ibirapuera, passou pelo Monumento às Bandeiras, e terminou em frente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

Profissionais da área técnica de eventos pedem protocolos para retomada ao trabalho em protesto neste domingo (3), em São Paulo — Foto: Van Campos/FotoArena/Estadão Conteúdo

As principais reivindicações dos manifestantes são:

  • definição dos protocolos de segurança para a retomada do setor ao trabalho;
  • auxílio emergencial até o fim do estado de calamidade pública ou até que seja autorizada a realização de eventos;
  • cursos de capacitação para os profissionais, de modo que possam atuar como trabalhadores formais;
  • criação de um Comitê de Eventos no Conselho Nacional de Turismo para identificar e discutir questões do setor de eventos;
  • criação de uma linha de crédito voltada para o setor de eventos, visando, principalmente, o pagamento da folha de salários e das despesas das empresas.



Fonte

Deixe uma resposta